Menu de navegação das páginas

Dicas para plantar sua horta de modo divertido, saudável, delicioso e dando muito menos trabalho do que imagina

‫‫

Alho-poró na Horta de Casa

Alho-poró na Horta de Casa

 

O alho-poró (Allium ampeloprasum var. porrum) é uma hortaliça robusta e elegante pertencente ao gênero Allium e à família das Amarilidáceas, a mesma do alho e da cebola. Também é conhecido como alho-francês, alho-porró, alho-macho, porro-bravo, dentre outros nomes.

leek-field-694211_1280

Alho-poró em campo de plantio.

Diferente da maioria dos outros ‘alliums’, o alho-poró tem sabor suave, levemente adocicado e não produz grandes bulbos arredondados. Em vez disso forma um cilindro longo de folhas predominantemente verdes que crescem numa disposição em forma de leque e podem chegar a até 1m de altura. Suas folhas se encaixam sobrepondo-se umas às outras em camadas, formando um pseudo-caule (talo) espesso de coloração branco-esverdeada.

Nativa do Mediterrâneo Oriental e do Oriente Médio,  tem uma história longa e interessante com origens tão distantes quanto a antiguidade dos Egípcios, Gregos e Romanos, sendo seu consumo já bastante popular naquela época.

Seus benefícios para a voz e a garganta intrigaram Aristóteles, que questionava porque o alho-poró contribuía para a clareza da voz e até mesmo para a limpidez e clareza do canto das perdizes.

Conta-se que o imperador romano Nero fazia uso de grandes quantidades de alho-poró para manter a voz e as vias aéreas limpas, resultando em um hálito muito pesado, que lhe rendeu o apelido jocoso:  o Porófago.

Os romanos introduziram o cultivo do alho-poró no Reino Unido, onde prosperou por sua tolerância e até preferência por climas mais amenos. No País de Gales, o vegetal tornou-se um símbolo nacional após 1620, quando, em uma importante batalha, foi utilizado como ornamento para diferenciar os vitoriosos soldados das tropas galesas de seus oponentes saxões.

Hoje em dia, o alho-poró é um componente importante da culinária de diversos países da Europa, principalmente da França e do Reino Unido, e é utilizado mundo afora, inclusive no Brasil, onde vem ganhando cada vez mais espaço por sua facilidade de cultivo, sabor único e benefícios à saúde.

De maneira geral, o alho-poró é utilizado para conferir um sabor especial a caldos, como componente principal de diversas sopas e tortas e também no lugar da cebola, alho e cebolinha no tempero de receitas variadas como saladas e omeletes, além de ficar bastante saboroso e crocante quando frito em óleo e salgado.

Variedades de alho-poró

Há mais de 20 variedades de alho-poró, que variam em forma, coloração e tamanho e podem ser divididas de modo geral nas seguintes categorias:

  • Espécies de Alho-poró de temporada curta

Alhos-porós de temporada curta podem ser colhidos entre 50 e 100 dias após o plantio. Costumam ser menores e mais sensíveis ao frio que os de temporada longa, além de terem um sabor mais suave. Também são um pouco mais fáceis de cultivar que os de temporada longa porque não requerem muita amontoa de terra (veja abaixo). King Richard, Columbus, Varna e Dawn Giant são algumas das variedades de alho-poró temporada curta.

  • Espécies de Alho-poró de temporada longa

Os alhos-porós de temporada longa costumam chegar à maturidade entre 120 e 180 dias após sua germinação. Têm um sabor mais forte e talos mais espessos que os de temporada curta e necessitam de maior amontoa de terra junto à planta para atingirem um bom patamar de qualidade em termos de textura e sabor. A robustez dos alhos-porós de temporada longa permite que tenham sua colheita atrasada por 30 dias ou mais. Gigante-Musselburgh, Bandit e Titan são algumas das variedades de temporada longa.

  • Alho-poró selvagem

O alho-poró selvagem é o ancestral comum das diferentes variedades atualmente cultivadas mundo afora. Conhecido por aqui como Gigante-americano, é a variedade mais encontrada no Brasil e apresenta folhas longas e chatas, que o fazem ter um aspecto de mato. É mais macio e tem maior parte aproveitável para culinária do que outras variedades. Por ser mais robusto, é normalmente colhido a partir de 130 dias após a germinação, sendo sua tolerância bastante elevada. Fique tranquilo em deixá-lo na terra por até quase 1 ano, desde que o clima não esfrie a ponto de congelar o solo.

Informação nutricional

NUTRIENTES100 GRAMASNUTRIENTES100 GRAMASNUTRIENTES100 GRAMAS
Umidade (%)91Potássio (mg)224Lisina (g)0,08
Energia (Kcal)32Cobre (mg)0,29Metionina (g)0,01
Energia (KJ)132Zinco (mg)0,2Cistina (g)0,00
Proteína (g)1,4Retinol (µg)NAFenilalanina (g)0,05
Lipídeos (g)0,1RE (µg)16Tirosina (g)0,06
Colesterol (mg)NARAE (µg)8Valina (g)0,05
Carboidrato (g)6,9Tiamina (mg)0,06Arginina (g)0,08
Fibra alimentar (g)2,5Riboflavina (mg)TrHistidina (g)0,02
Cinzas (g)0,6Piridoxina (mg)0,08Alanina (g)0,06
Cálcio (mg)34Niacina (mg)0,34Ácido aspártico (g)0,05
Magnésio (mg)11Vitamina C (mg)14,1Ácido glutâmico (g)0,18
Manganês (mg)0,1Triptofano (g)0,01Glicina (g)0,05
Fósforo (mg)36Treonina (g)0,03Prolina (g)0,03
Ferro (mg)0,6Isoleucina (g)0,04Serina (g)0,04
Sódio (mg)2Leucina (g)0,07

Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – TACO 4ª edição revisada e ampliada, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação – NEPA, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.

Benefícios do alho-poró para a saúde

leek-978577_1280Se consumido regularmente, o alho-poró ajuda a controlar o colesterol ruim e a hipertensão, assim como a aterosclerose, diabetes, artrite reumatóide e inflamações alérgicas das vias aéreas, além de remover o muco dos pulmões (lembra do Aristóteles e do Nero?).

O alho-poró contém uma quantidade significativa de flavonóides, que são substâncias conhecidas por terem ação anti-inflamatória, anti-alérgica, anti-hemorrágica, anti-carcinogênica e, principalmente antioxidante. As plantas ricas nesses compostos geralmente são consideradas plantas medicinais. O canferol, um flavonóide presente em abundância no alho-poró, é conhecido por sua capacidade de proteger os vasos sanguíneos. Além disso, há estudos que ligam uma dieta rica em canferol a uma chance até 40% menor de se desenvolver câncer de ovário.

O alho-poró contém compostos de enxofre importantes para uma série de processos fisiológicos que vão desde a síntese de glutationa e de taurina até a conexão das cadeias de amino-ácidos que formam a insulina.

Por conter uma concentração substancial de folato, o alho-poró é um alimento que protege o coração e o sistema cardio-vascular.

A quantidade de polifenóis com propriedades antioxidantes do alho-poró também não é nada desprezível, sendo superior à dos pimentões, tomates-cereja e cenouras. Substâncias com ação antioxidante ajudam a neutralizar os radicais-livres, fornecendo os elétrons que aqueles buscariam em substâncias importantes do organismo.

Restrições ao consumo de alho-poró

O alho-poró faz parte de um pequeno grupo de alimentos que contêm uma quantidade mensurável de oxalatos. Embora os oxalatos sejam substâncias naturais, presentes em plantas e animais, quando atingem uma concentração elevada no organismo podem se cristalizar e formar cálculos (pedras). Por isso, recomenda-se que pessoas com problemas nos rins ou vesícula biliar evitem consumir o alho-poró.

Também se sabe que os oxalatos podem reduzir a capacidade de absorção de cálcio e de ferro pelo organismo. Essa redução, contudo, é relativamente pequena e não se costuma contra-indicar seu consumo a quem tem o trato digestivo saudável. Além disso, deixar o alho-poró de molho por 8h ou cozinhá-lo em água fervente ajuda a reduzir a quantidade dos oxalatos presentes.

Como a cebola e o alho, o alho-poró pode causar gases e cólicas, principalmente em pessoas mais sensíveis aos compostos de enxofre nele contidos. Sabendo-se disso e lembrando que compostos e substâncias ingeridas pela mãe tendem a ser transferidas ao leite materno, aconselha-se que as lactantes evitem o consumo de alho-poró.

Como as demais plantas do gênero Allium, o consumo de alho-poró contribui para baixas na pressão arterial. Embora isso seja bom para hipertensos, quem sofre de hipotensão deve evitar consumi-lo em excesso.

Contém, ainda uma quantidade significativa de níquel, o que pode causar leve irritação na pele e mucosas a pessoas alérgicas a este elemento.

Como cultivar alho-poró

Embora seja comum ouvir que o alho-poró é difícil de cultivar, ele é na verdade uma planta bastante forte, tolerante e de fácil cultivo, com garantia de boas colheitas desde que sejam tomados alguns cuidados básicos. O que ocorre é que o cultivo do alho-poró, assim como das demais espécies do gênero allium, em hortas domésticas é pouco comum em razão de seu ciclo mais longo, de até 180 dias. Geralmente, as pessoas preferem cultivar espécies que podem ser colhidas em menos tempo. No entanto, basta ter um pouco de espaço e paciência para ter sucesso no cultivo desta espécie.

leeks-1081107_1280

Raízes de alhos-poró recém colhidos.

É uma planta bienal cujo pseudo-caule cilíndrico e folhas longas e achatadas se desenvolvem a partir de um pequeno bulbo com raízes fasciculadas ainda no primeiro ano, quando normalmente já é colhida para consumo. Durante esse período, suas folhas podem chegar a 1m de comprimento e seu talo a até 20cm de altura e 6cm de diâmetro.

Por ser cultivada como planta anual de temporada longa, muitos jamais chegam a vê-la totalmente amadurecida no segundo ano, quando surgem suas hastes florais, acompanhadas de inflorescências quase perfeitamente esféricas em tons de branco, rosa ou lilás, surpreendentemente bonitas e perfumadas. Em vez de flores, algumas hastes apresentam pequenos bulbos que podem ser replantados.

A bela flor do alho-poró.

A bela flor do alho-poró.

Seus frutos são em formato de cápsula trígona e suas sementes são pretas, achatadas e enrugadas (menores que as da cebola), e têm poder germinativo por períodos curtos se não forem conservadas adequadamente. Por isto é difícil encontrar sementes para plantar em casa, mas é possível contornar tal dificuldade plantando-se mudas ou os bulbos dos vegetais adquiridos na feira ou no supermercado.

Embora prefira climas amenos e se desenvolva melhor com temperaturas que fiquem na faixa dos 13°C a 24°C, o alho-poró também suporta temperaturas mais elevadas (de até 35°C), desde que devidamente irrigado, além de resistir bem a temperaturas baixas na casa dos 5°C.

Como plantar alho-poró

 

Solo

O alho-poró necessita de solo profundo, com pH ligeiramente ácido (entre 6,0 e 6,8), fofo, rico em nitrogênio e matéria orgânica, e úmido, mas bem drenado.

Plantação de alho-poró.

Plantação de alho-poró.

É essencial preparar o solo antes de plantar ou transplantar. Para isso, limpe e solte bem a terra que utilizará e misture a ela uma boa quantidade de adubo orgânico ou húmus de minhoca. Se necessário, faça também a correção de pH.

O alho-poró responde bem ao cultivo em jardins, canteiros e até mesmo vasos altos (a partir de 45cm de profundidade, embora haja quem os cultive em vasos com 25cm), e pode fazer parte de quase qualquer horta caseira.

Plantar semente

É possível plantar sementes de alho-poró diretamente no local onde ele será cultivado ou em sementeiras. As sementes devem ser plantadas a 1,5 cm de profundidade e germinarão de 6 a 8 dias após o plantio.

Para plantar em sementeira, prepare a terra para semeadura, semeie e regue diariamente. Mantenha a sementeira em local bem iluminado (com insolação indireta) com temperatura por volta dos 25°C.

As mudas estarão prontas para transplante quando tiverem 3 a 4 folhas com 10cm a 15cm de comprimento, o que deve ocorrer aproximadamente 60 dias após a semeadura. Selecione as melhores mudas, regue abundantemente e as transplante para o local definitivo. Tome bastante cuidado no momento da remoção para não danificar as raízes.

Se preferir plantar diretamente  no local onde o alho-poró será cultivado, prepare o solo e plante as sementes com 10cm de distância na mesma fileira, e pelo menos 30cm entre as fileiras. É recomendável proteger o solo com  folhas secas, palha, casca de pinus ou serragem, para evitar a compactação do solo e o desenvolvimento de pragas, deixando uma abertura por onde a planta irá brotar.

Plantar muda

Prepare um local ensolarado para o plantio definitivo das mudas de alho-poró. Cave uma cova com 15cm de profundidade e plante a muda no fundo dessa cova. Cubra com terra a raiz e a base do alho-poró até onde as folhas começam a se separar. Plante as mudas a no mínimo 10cm de distância uma da outra na mesma fileira e respeite um mínimo 30cm de distância entre as fileiras.

Como o alho-poró tem raízes curtas e rasas, você pode colocar uma camada não-compactada de serragem ou palha no fundo das covas para proteger as raízes durante seu crescimento. Não se preocupe se as mudas não ficarem perfeitamente verticais, pois elas rapidamente se erguerão.

Para garantir que seu alho-poró tenha um talo branquinho, é necessário realizar o procedimento da amontoa, que nada mais é do que amontoar terra periodicamente junto à base visível da planta até a altura onde as folhas se separam, para assim proteger do sol aquele pedaço do talo. Dessa maneira, aumenta-se o tamanho da parte tenra e saborosa que será colhida.

Para evitar encontrar terra presa no talo do seu alho-poró, tome cuidado para não amontoar terra acima do ponto em que as folhas se separam. Outra dica bacana é proteger sua muda com um cilindro de papel ou papelão (como a parte central de um rolo de papel higiênico ou de papel toalha) para evitar que haja acúmulo de terra entre as primeiras folhas. O cilindro pode ser deixado na terra ou removido.

Replantar alho-poró

É possível obter mudas de alho-poró a partir das plantas colhidas ou adquiridas na feira ou no supermercado.

Para isso, basta reservar parte da base e o bulbo de onde se projetam as raízes (assim como as próprias raízes) e colocar esse toco dentro de um copo com água limpa num cantinho ensolarado, lembrando de trocar a água com frequência para evitar o apodrecimento da planta. Depois de atingir o tamanho de 15cm, essa muda pode ser replantada.

Época para plantio

O alho-poró deve ser plantado durante a primavera ou o outono, sendo que no Brasil as melhores safras costumam ser dos que foram plantados no outono.

Como cuidar do alho-poró

Adubação

O alho-poró necessita de um fornecimento constante de nitrogênio, e recomenda-se adubá-lo mensalmente com algum tipo de adubo orgânico líquido, como chorume de húmus ou emulsão de peixes. Além disso, a cada 2 ou 3 meses, é bom adubar por cobertura, rodeando a planta com húmus de minhoca ou algum outro adubo orgânico rico em nitrogênio.

Poda

Durante seu cultivo, o alho-poró não necessita de poda das suas folhas. Elas podem, contudo, ser cortadas bem curtas quando da época de colheita e levemente aparadas quando suas pontas tocam o solo para voltarem a ficar eretas e aproveitarem melhor a insolação.

Irrigação

Após o plantio e/ou transplante de mudas, deve-se regar em abundância o alho-poró.

Depois que as mudas do alho-poró estiverem devidamente assentadas e eretas, deve-se passar a regá-las regularmente (dia-sim/dia-não) com quantidades moderadas d’água se plantadas em canteiro grande ou jardim. Caso tenham sido plantadas em vaso ou canteiro pequeno, regar com maior frequência (todos os dias) devido à facilidade de desidratação da terra nessas circunstâncias. Também deve-se regar com maior frequência durante os períodos mais quentes, como no verão. Note que o necessário é elevar a frequência, não a quantidade de água, e que uma frequência inconsistente de rega pode fazer com que o talo fique mais duro que o desejável.

É recomendado fazer a rega nos períodos mais frescos do dia, como logo ao amanhecer ou logo antes do final da tarde, com o objetivo de manter o solo úmido, evitando-se de deixá-lo seco ou encharcado.

Iluminação

A planta do alho-poró necessita de pelo menos 4h de insolação diária, sendo que se desenvolve melhor quando dispõe de insolação direta total e desobstruída.

Pragas e doenças

A praga mais comum ao alho-poró (e a muitas hortas e jardins) são as larvas de tripes, que raspam tecidos da planta e se alimentam da seiva, deixando os talos e folhas pálidos e manchados e fazendo-os morrer após um tempo. Ocorrem principalmente em épocas quentes e secas, quando se espalham rapidamente.

A melhor receita para evitar infestações é manter uma horta bem-nutrida e hidratada, e sempre limpa de ervas daninhas .

Se notar folhas oxidadas (com manchas alaranjadas), remova-as para que as próximas folhas nasçam saudáveis.

Inspeções semanais ajudarão você a evitar que quaisquer problemas comprometam o crescimento sadio do seu alho-poró. Fique atento também a caramujos e fungos, tomando cuidado para removê-los sem danificar a planta.

Quando e como colher o alho-poró

Alhos-porós com as raízes limpas.

Alhos-porós limpos, prontos para distribuição.

A época da colheita depende da variedade plantada, mas de maneira geral, colhe-se o alho-poró de 80 a 180 dias após a germinação, quando o talo alcança entre de 2,5cm a 4cm de diâmetro. Ele também pode ser colhido precocemente (aproximadamente 60 dias), quando é menor e mais tenro, ou tardiamente (aproximadamente 210 dias), quando é maior e tem sabor mais forte. Se forem deixados plantados durante todo seu ciclo bienal, pode-se reunir as sementes, mas depois do florescimento o consumo do talo fica um pouco prejudicado, devido a um leve enrijecimento do mesmo, que o deixa mais fibroso.

Para realizar a colheita, pode-se simplesmente puxar o alho-poró do solo, ou cavar ao redor dele antes de proceder à remoção. Embora possua raízes curtas, o alho-poró apresenta muitas delas, o que costuma dificultar a remoção direta. Para facilitar a colheita, é mais indicado cavar primeiro ao redor da planta. Ao cavar, tome cuidado para não danificar as raízes e ao puxá-lo, segure-o o mais perto da base que puder, para evitar arrancar folhas isoladamente. Seja qual for o método escolhido, regar antes da colheita costuma facilitar o processo.

Conservação do alho-poró após colheita

alho-poró limpo

Alhos-porós limpos e aparados.

Após realizar a colheita do alho-poró, é importante remover manualmente o excesso de terra e depois esfregá-lo bem com uma escova própria para a limpeza de vegetais. Se a intenção for consumi-lo imediatamente, deve-se cortar as raízes, aparar as folhas para que reste somente a parte mais tenra e saborosa, e proceder à lavagem, prestando-se bastante atenção aos pontos do talo onde as folhas se sobrepõem, pois esses podem conter pequenos acúmulos de terra.

Se a vontade for de usar o alho-poró dentro de um período de até 10 dias, realize o procedimento de remoção de terra e esfrega da planta e guarde-o na geladeira dentro de um saco plástico fechado para que não desidrate rapidamente. Se preferir, pode lavar o alho-poró antes de refrigerá-lo (eu prefiro), sendo necessário secá-lo bem antes de colocá-lo dentro do saco plástico.

Para conservar seu alho-poró por períodos longos, você pode armazená-lo inteiro no freezer. Para isso, é essencial que corte quase que a totalidade das folhas (deixando no máximo de 2cm a 2,5cm), remova totalmente as raízes, lave e seque bem seu alho-poró. Coloque-o então em um saco plástico próprio para o freezer, retire o máximo de ar do saco que puder e deixe-o completamente selado. Isso fará com que seu alho-poró fique fresco e bem conservado por até 3 meses!

Preparação básica

O alho-poró tem um sabor mais delicado e doce que o da cebola. As partes comestíveis de sua anatomia são o talo esbranquiçado, as partes verde-claras e, menos comumente, os primeiros centímetros das folhas verde-escuras.

alho-poró

Embora possa ser utilizado inteiro, normalmente fatia-se o alho-poró finamente e pode-se prepará-lo das seguintes formas:

  • Cru, para trazer uma leve, doce e crocante acidez a saladas;
  • Cozido em água ou no vapor, para que fique macio e mantenha o sabor delicado;
  • Frito, para deixá-lo ainda mais crocante e realçar o sabor;
  • Refogado, pra realçar o sabor com a mistura ao azeite ou manteiga, e acrescentar a omeletes e risottos;
  • Como ingrediente principal de sopas como a sopa de alho-poró com batata e a vichyssoise, além de quiches, tortas e soufflés;
  • As folhas verde-escuras podem ser fatiadas super finamente e usadas como guarnição.

 

Não se deve manter alho-poró cozido ou receitas com alhó-poró cozido por mais do que 2-3 dias na geladeira.

5 Comentários

  1. Bom dia, muito bom o post, bem completo!!! O mais completo que ja li sobre alho poro! Estou fazendo algumas mudas e germinaram bem rapido!! Abcs!

    • Olá Debora, que bom que você gostou. Espero que te ajude! Muito sucesso com a sua horta!

  2. Bom dia, de curiosidade, teplantei o talo que restou do alho poró que comprei no mercado. Como de esperar ele floresceu e agora não sei o que fazer dás florzinhas. Acho que após secarem elas irão liberar sementes. Seria isso mesmo? Tem como fazer mudas?

    • É isto mesmo, Rosane! Não custa tentar, não é?

  3. Olá Beatriz, tudo bem? Você saberia me dizer se as flores do Alho Poró são comestíveis? Obrigaada e parabéns pelo conteúdo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

‫‫
‫‫‫‫‫‫‫

Pin It on Pinterest

Share This